Emoção, sentimento e afeto

É senso comum pensar que se sabe o que é emoção … uma pessoa qualquer diria na rua que emoção é sentir, talvez a um estímulo. Porém se um médico sentar na maca e bater com martelo no joelho e pergunta você sentiu? sim! foi emoção? não!

Não é algo esotérico, nem metafísico e não está fora do universo do corpo.

Duas principais características: é automático e inconsciente

Emoção + sentimento => afeto

Fonte:

Anúncios

Todo conhecimento é no fundo autoconhecimento

em um sistema educacional tradicional o professor é o centro e detentor de todo conhecimento que ocorre em uma sala de aula. No Método Montessori o professor é meramente um mediador do material para que, através deste, o aluno possa construir seu próprio conhecimento.

Da mesma forma que a maeutica socrática tratava das dúvidas e esclarecimentos através de perguntas, hoje é o processo de coaching que faz isso.

Nosso conhecimento vem dessas indagações e a busca por um entendimento, tanto de si mesmo ,como do ambiente.

 

Inspirado nessa publicação :

https://mobile.facebook.com/story.php?story_fbid=1809146662512751&id=1080462415381183

Conhecimento do merecimento não seja conduzido a reagir diferente da sua natureza

Conhecimento do merecimento veio a mim através de um vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=PROv0S6dxsw

 

Diversas vezes durante o dia nos vemos conduzidos pela essa perspectiva de que mereço ou alguém merece ou não alguma coisa.

 

Isso faz com que você reaga a uma situação, ao invés de fazer aquilo que estava planejado, por exemplo dar um presente para seu filho, se ele fez malcriação você deixa de dar. Você se afasta do seu eu verdadeiro para reagir de acordo com as coisas que acontecem.

 

A natureza é sua, nunca se afaste dela.

 

A parábola do mestre com o escorpião

o mestre estava na beira do rio salvando um escorpião de se afogar

ao pegar no escorpião ele o picava ele se afastava um pouco

depois ia de novo e arrastava um pouco o escorpião e ele o picava de novo

e o mestre voltava a salvar o escorpião empurrando um pouco e tomava picava de novo

dai o mestre pegava o escorpião e tomava ferroada de novo

vendo a situação do mestre vem um discípulo

pergunta por que o mestre ainda estava tentando salvar ao inves de deixar ele se afogar

o mestre fala que a natureza dele é salvar o escorpião

e a natureza do escorpião é de ferroar ele

ele não está mudando a natureza dele, por que eu deveria mudar a minha?

 

Seja você mesmo, faça o que é que você quer fazer.

 

As vezes por uma situação grave você deixa de lado as suas coisas e vai socorrer.

Por que você não deixa de lado o merecimento e vai socorrer no momento que precisa?

 

Um ser de luz age e não deixar se condicionar as condições.

A reação não é benéfica, é sempre baseada em crenças.

 

Sentir abundância com critérios atingíveis

Abundância é um termo abrangente e que representa grandiosidade. Venho reconhecendo cada vez mais em minha vida e vou compartilhar com vocês um pouco desse aprendizado.

Antes de falar sobre como sentir e vibrar abundância, vamos ver um pouco desse conceito e quem vem trabalhando com ele. Para isso minha principal referência é o livro Abundância: O Futuro é Melhor do que Você Imagina de Peter Diamandis e Steven Kotler. Em três vídeos você terá um panorama do livro:

Como vibrar abundância: os critérios

Uma vez um jogador de futebol, sempre treinou muito, jogava muito bem, fazia uma variedade enome de jogadas. Ele sabia diblar, marcar o jogador adversário, fazia lindos lançes com a bola, criava jogadas para seus companheiros. Em certo momento aprendeu que deveria estabeler metas, fez como tinha aprendido: declarou para si mesmo “A partir de agora vou vibar felicidade, conquista e sucesso quando eu fizer um gol de bicicleta de fora da grande área”. Você acha que esse jogador vai conseguir vibrar sucesso muitas vezes? A vida dele provavelmente seria uma lamentação frequente até, os poucos momentos, que conseguiria fazer tal meta.

Bem diante desse aprendizado, para conseguir sentir e vibrar abundância, você deve criar critério que sejam alcançáveis diariamente. Os meus são expressados em gratidão por ter ar e comida para me manter vivo, sindo profunda gratidão também pelas pessoas nesse mundo estar aprendendo e ensinando, cada vez mais informações são transmitidas e as mudanças que acontecem em nossa vida a cada novo contexto que existe.

 

Espero te ajudar a criar melhorer momento após esses ensinamentos.

 

Abraço!

 

Paulo Tiago C. Mariano

Rascunho da definição do desenvolvimento da auto inteligência

A auto inteligência está sendo desenvolvida, o objetivo principal é criar um processo para desenvolver a inteligência por si próprio.

Os primeiros princípios para esse método são:

1- Conheça a ti mesmo

2- Cada célula do corpo tem a inteligência para harmonizar o todo

3- O eu interno é que consegue harmonizar o corpo físico e ter um ambiente favorável para a inteligência ser desenvolvida

O complemento são as categorizações de inteligência . Mas o desenvolvimento de apenas uma parte seja insuficiente para identificar diferença. Existem muitos métodos para desenvolver uma ou outra inteligência. Estou em busca de um que desenvolva todos.

Inteligência intra pessoal

Inteligência inter pessoal

Inteligência criativa

Inteligência artificial

Inteligência musical / ecológica

 

A culpa é da culpa

Em reflexão da lei a auto causa – em breve descrevo melhor sobre ela – encontrei um artigo muito bom sobre angústia e culpa. Abaixo:

Culpa não existe. Culpa é um sistema criado para manipulação das massas. Se você sente culpa por alguma coisa, qualquer coisa, parabéns, você faz parte de uma massa manipulada por alguém! E enquanto isso, você se distancia de ser alguém de verdade e continua sendo mais um peão nesse jogo.

Mas eu sinto culpa e esse sentimento é real! Não é uma invenção, uma manipulação.

A culpa é sua!É sim. O que prova que você foi tão manipulado que não consegue pensar diferente. Mas se a culpa é um sentimento real e manipulado ao mesmo tempo, só existe uma explicação: sentimos algo que aprendemos a chamar de culpa, que não é culpa. É engraçado que existem sistemas e teorias inteiras baseadas no conceito de culpa, que só servem para propagar essa enganação. O sistema legal é uma delas, por exemplo. A teoria psicanalítica utiliza de conceitos de moralidade e culpa também. E quem as ouve e acredita nisso só está se enterrando mais nesse pântano.

Mas o que é isso que eu sinto então?

Carregamos o peso da responsabilidade das costasTodos nos seres vivos e existentes nesta terra somos fadados a fazer escolhas e sermos livres. “Somos todos condenados à liberdade“. Essa talvez seja a única coisa da qual não temos escolha: a liberdade. Na real, podemos escolher não termos escolha e vivermos de má-fé, nos enganando o tempo todo (é isso que faz a maioria das pessoas). Mas, para chegarmos nesse ponto, tivemos que fazer uma escolha e escolhemos constantemente nos manter nesse estado.

Por sermos seres livres, temos que fazer escolhas. Escolher por escolher é simples: o problema é que toda escolha tem sua consequência e é aí que vem o “X” da questão.

Quando nos deparamos com o desconhecido, nosso organismo ativa um sistema de auto-defesa que nos avisa que algo está errado. É um alerta, uma sensação desagradável que basicamente nos faz ficar atentos ao perigo e termos a reação ou de lutar ou de fugir (fight or flight) para nos protegermos. Quando a ameaça é real, está na nossa frente ou é algo que podemos fazer, como um animal prestes a nos atacar ou uma casa pegando fogo, fica fácil saber qual a nossa reação. Mas, quando essa ameaça vem de algo desconhecido e que não temos controle nenhum, como o nosso futuro ou a consequência indireta das nossas ações?

Esse sentimento é real: é a angústia...Isso faz com que sintamos algo que chamamos de “angústia”. Essa angústia é o que nos move para fazermos algo da nossa vida e nos faz tomarmos decisões melhores. Quando escolhemos algo que não nos agrada, essa angústia toma conta de nós e, para evitar esse sentimento, da próxima vez que isso acontece, escolhemos diferente, até acertarmos. É isso que chamaos de responsabilidade: quando, além de escolhermos, escolhemos também as consequências das nossas escolhas.

A experiência e os bons projetos de vida são a melhor forma de não vivermos constantemente angustiados. Mas existe uma forma mais fácil de fazer isso: a culpa.

A culpa é minha e eu faço com ela o que eu quiser!

Quando os primeiros grupos humanos descobriu que todos nós vivemos a partir desse princípio da angústia e da responsabilidade sobre nossas escolhas, eles descobriram que poderiam manipular esse sentimento para controlar as massas. Eles criaram a culpa.

"A culpa é minha e eu coloco ela em quem eu quiser!"Uma coisa que precisamos entender sobre as escolhas e a responsabilidade: TODA escolha que tomamos sempre envolve pelo menos duas pessoas, ou seja, está em uma relação. Não precisa ser uma pessoa necessariamente, mas sim algo com o qual nos relacionamos. Porém, essa responsabilidade sempre é compartilhada com a outra parte, pois as decisões nunca são feitas sozinhas. Por exemplo, se um casal faz sexo e a mulher engravida, tanto o homem quanto a mulher são responsáveis pelo bebê, ou seja, precisam aceitar as consequências da gravidez.

O mesmo acontece com um caso de estupro: não só o estuprador é responsável pelo ato de violência, mas a mulher estuprada também, pois ela precisa aceitar e conviver as consequências desse ato, sejam elas DSTs, uma gravidez indesejada ou trauma emocional. Em nenhum caso as partes envolvidas em qualquer ação podem ficar omissas de suas responsabilidades, ou seja, das consequências dessas ações. Por isso, ambas as partes convivem com a angústia.

De quem é a culpa?A não ser que se encontre um culpado…

Na relação de culpa, pega-se a relação responsável, e coloca-se toda a responsabilidade que deveria ser compartilhada somente em cima de uma pessoa. Essa pessoa é então culpada e o sentimento de culpa que ela sente é o de angústia da responsabilidade pela ação. A outra parte, por não ser responsável pelas consequências de seus atos, não sente mais angústia! E qual a vantagem disso? É que a parte culpada pode ser desculpada pela parte não culpada. E assim, ninguém vive mais com angústia!

Se ninguém vive mais angustiado, qual o problema? Isso não é bom?

O problema é que a angústia nos leva a sermos responsáveis. Se não temos mais angústia, não temos porque nos responsabilizar por nossas ações. Podemos escolher sem medo das consequências, porque se fizermos algo errado, podemos ser desculpados depois. Tudo bem eu quebrar o copo por não prestar atenção às coisas à minha volta: vão me perdoar e não terei que fazer mais nada a respeito disso.

A vida sem angústia é uma vida irresponsável, é uma vida que não nos pertence, pois não temos mais responsabilidade sobre a consequência das nossas escolhas. Tudo pode acontecer e nada mais é nosso. Se cometemos um erro, ele não nos pertence. Mas se cometemos um acerto, nós o queremos para compensar a falta de experiência alcançada com nossos erros.

A vida é só sim ou não?Erros e acertos fazem parte da vida e todas as experiências são válidas. Viver de culpas e desculpas é somente aceitar os acertos e dispensar os erros. Sem erros, temos menos experiências e para preencher essa lacuna procuramos sempre mais acertos! Então sempre queremos mais e mais. Só ficamos satisfeitos com a perfeição. O mundo então passa a ser monocromático, onde só o bom e o certo é aceitável. O mau e o errado é ignorado, desculpado e deixado de lado.

A vida perde sua cor. E de quem é a culpa? Da culpa. Ou seja, graças a esse mecanismo de culpa-desculpa que vivemos, deixamos de nos responsabilizar por nossos atos, deixamos de aprender com nossos erros, deixamos de mudar e sermos pessoas melhores graças às nossas experiências.

Me sinto culpado agora. Qual é a solução pra isso?

Pra começar, deixar de se sentir culpado. Como? Reconheça a situação que promoveu esse sentimento. Reconheça as partes envolvidas e aceite a sua responsabilidade sobre o ocorrido. Não queira aceitar a responsabilidade pelos outros já que isso é tornar o outro irresponsável, o que o torna irresponsável também. Não queira abraçar o mundo e reconheça suas limitações. Aprenda que o erro também é válido e necessário para chegarmos onde queremos chegar. Faça projetos responsáveis e faça escolhas responsáveis. Perceba que essas ações são próprias da sua vida e retome ela para você e não deixe que ninguém escolha por você.

Pedras no caminho? Coleciono todas, pois com elas irei construir o meu castelo“.

Com as pedras no caminho faço o meu castelo...Viver sem culpa é viver responsável por suas ações, é não aceitar desculpas e fazer as coisas para que as consequências das nossas escolhas sejam sempre as melhores possíveis, dentro daquilo que queremos, planejamos e projetamos para a nossa vida e daqueles com os quais nos relacionamos. “Devo fazer minha escolha como se ela fosse a escolha da humanidade toda“, já dizia Sartre, grande inspirador deste texto. Mas isso não quer dizer que devemos escolher por todos, somente que a minha escolha deve levar em consideração as outras pessoas: quais? Todas.

Talvez assim possamos recobrar as cores da nossa vida criada pelas nuances das nossas escolhas. Tentem! Se der certo, me avisem aqui. Sei que dá certo pra mim e queria compartilhar esse sentimento com vocês.